Cidade mais rica do país, Paulínia está endividada e atolada em problemas


Apesar de ser considerada uma das cidades mais ricas do país, Paulínia está vivendo uma crise financeira sem precedentes. Brigas políticas, trocas constantes de prefeito e falhas na gestão pública está deixando a população local sem atendimento, mesmo com o enorme valor arrecadado com impostos. A cidade é importante pólo petrolífero nacional e arrecada muito com impostos, principalmente por conta da Replan.

A cidade tem o maior PIB per capita do país, que é de R$ 344.847,17, com uma arrecadação total média de mais de R$ 500 milhões anuais em impostos para uma cidade de porte pequeno, com 100 mil habitantes, mas mesmo assim enfrenta um setor de cultura totalmente sucateado, problemas no atendimento de saúde e agora vai trocar a empresa de ônibus.

O vultuoso sambódromo e o parque cinematográfico estão abandonados há pelo menos quatro anos. O pólo de cinema consumiu quase R$ 500 milhões de dinheiro público e está sob responsabilidade da iniciativa privada.

A prefeitura diz que está “arrumando a casa” e que vai zerar em até seis meses a fila de espera de exames na rede pública. Sobre o sambódromo, disse estar estudando a melhor forma de usar a estrutura. O pólo de cinema poderá ser reativado em breve e que em outras questões, está procurando atender todas as demandas da população.

Isso prova que o problema do Brasil não é a falta de dinheiro, mas sim a forma como ele é usado. Paulínia tem o potencial para ser uma potência, mas na verdade está toda endividada.

Da Redação ODC.

Conteúdo relacionado

Busque

Linhas de Campinas

Linhas de Paulínia

Linhas de Hortolândia

Linhas de Sumaré