Descubra cinco mitos ou verdades sobre água e celulares

 Descubra cinco mitos ou verdades sobre água e celulares

Quem nunca precisou trocar de celular depois de derrubar o aparelho na piscina ou vaso sanitário?

A procura por smartphones com resistência à água cresce a cada dia que passa e as fabricantes estão de olho na tendência.

Não é à toa que hoje é fácil encontrar nas lojas de celulares mais simples algum acessório de proteção que atenda volume ou pressão de água.


“Alguns protegem apenas contra garoa e chuva fraca, por exemplo, pois são feitos pensando em proteger o celular no bolso, em caso de uma mudança de tempo inesperada. Outros suportam mergulhos em água salgada. Por isso, é importante estar atento na hora da compra para ser aquele produto que de fato te atenda ao propósito”, pontua Clayton Mangulin, CEO e fundador da Campinas Celulares, rede especializada em assistência técnica e venda de acessórios.

Para ajudar a manter o aparelho funcionando por mais tempo, listamos algumas dicas e cuidados:

  1. Existe celular totalmente à prova d’água
    Mito. Os aparelhos vendidos como “à prova d’água” são classificados como IP67 ou IP68 e possuem uma certa resistência à líquidos, mas por um limite de tempo. Além disso, não resistem a profundidades maiores, submersão, mergulhos, etc.
  2. Colocar arroz no celular molhado ajuda
    Parcialmente verdade. O arroz cru realmente absorve a umidade que ficou no aparelho, porém isso depende muito da quantidade de água e das peças que foram atingidas. “O ideal é não perder tempo com soluções caseiras e levar o aparelho para uma assistência técnica especializada”, garante Mangulin.
  3. Pode-se deixar o aparelho secar no sol
    Mito. Outra recomendação que se encontra por aí para salvar aparelhos molhados é colocar o celular sob o sol, com um guardanapo por baixo, mas isso pode gerar um superaquecimento e danificar a tela.
  4. Em caso de acidentes, é preciso retirar a bateria e o cartão SIM
    Verdade. Para evitar que os circuitos elétricos do aparelho, é bom retirar sua bateria e também cases de proteção e películas protetoras de tela, além do cartão SIM. Depois leve o aparelho para um profissional para secá-lo. “Essa atitude pode salvar o equipamento de uma pane elétrica”, finaliza o especialista.
  5. Capas de policarbonato permitem entrar com o celular na piscina
    Verdade. Existem produtos específicos para este fim e, portanto, o ideal é checar o tamanho e verificar com o fabricante as recomendações de uso. Em geral, não é recomendado mergulhar com o celular, mesmo que esteja com a capa, mas é possível deixá-lo na borda da piscina, bater fotos, levar em passeios de barco, etc.

Outras notícias