A população de Campinas está reclamando muito sobre a superlotação nos ônibus do transporte coletivo urbano. Desde a retomada da economia, quando parte do comércio voltou a abrir as portas, os ônibus começaram a ficar mais cheios, mas não houve ampliação da frota circulante.

Diariamente o ODC recebe fotos e vídeos mostrando a superlotação de ônibus e pontos, com passageiros espremidos tanto em veículos pequenos quanto em articulados, que possuem maior capacidade.

Muitas linhas já estão operando acima da capacidade-limite, e isso pode ser acompanhado a qualquer hora do dia. As linhas dos eixos Ouro Verde e Campo Grande são as mais prejudicadas.

Apesar dos acompanhamentos diários da operação por parte da Emdec e das empresas que operam o sistema, certas linhas continuam circulando abarrotadas de gente, e não só na hora de pico. Mesmo durante a hora de almoço, ou à noite, há ônibus cheios.

Em algumas linhas houve a colocação de veículos articulados, com maior capacidade, para poder absorver à demanda com maior qualidade, mas nem isso tem sido suficiente. As obras do BRT em alguns trechos já nos bairros ajudam a aumentar o atraso e a desorganizar qualquer planejamento.

PONTOS LOTADOS

O problema também se repete nos pontos e nos terminais. Filas intermináveis e aglomerações nas paradas, sobretudo no Centro, estão acontecendo praticamente todos os dias, o que ficou mais grave depois da reabertura de mais uma parte do comércio.

Diariamente a população tem reclamado e solicitado que mais ônibus sejam colocados nas ruas da cidade, mas o acréscimo ainda tem sido muito tímido e devagar.

Enquanto isso, a população acusa as empresas concessionárias, as cooperativas e a Emdec por não colocar mais ônibus nas ruas. Por conta disso entramos em contato com a Emdec, que nos enviou uma nota:

“De maneira geral, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) monitora e acompanha, de forma diária e constante, a operação do sistema de transporte público coletivo do município. O monitoramento ocorre em tempo real, pelo Núcleo de Monitoramento de Transportes (Numt), que fica na sede da Emdec; e, também, pela ação dos agentes da Mobilidade Urbana em campo, nos terminais urbanos.

No início da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a Emdec criou uma comissão interna para monitoramento diário do carregamento do sistema de transporte público coletivo municipal. A comissão reúne-se todos os dias, logo pela manhã, para avaliar a situação da operação; e tomar as medidas necessárias para aprimorar a prestação do serviço. Situações pontuais são analisadas com maior detalhamento. E, persistindo um problema, são tomadas ações corretivas, como a readequação da tabela horária da linha e / ou aumento da frota. Os ajustes ocorrem até que a operação da linha seja feita de maneira adequada.

Importante destacar que, em todo o período de quarentena, a Administração municipal realiza todos os esforços necessários e possíveis para manter, em operação, de forma adequada, segura e atendendo todas as regiões, o sistema de transporte público coletivo de Campinas. O setor de transporte público é um dos mais impactados pela pandemia, por conta da redução no número de passageiros e aumento das despesas operacionais. Ainda assim, em nenhuma ocasião, no nosso município, ocorreu a interrupção da prestação do serviço, que é essencial para a população, como registrado em outras localidades.

A Administração municipal também promove a antecipação emergencial do subsídio do transporte às concessionárias e permissionários. São R$ 6 milhões mensais, sendo R$ 5 milhões para o custeio do transporte público; e R$ 1 milhão para a operação do PAI-Serviço. Como forma de manter o equilíbrio econômico-financeiro do sistema.

Também é importante salientar que o enfrentamento do avanço da pandemia depende de todos nós. O período de quarentena continua; e os deslocamentos por ônibus e uso dos terminais urbanos devem ocorrer em casos de necessidade. O uso da máscara de proteção e os cuidados com a higienização das mãos são primordiais.

Os usuários do transporte público coletivo de Campinas devem utilizar o aplicativo “Busão na Hora”, que informa, em tempo real, o horário de chegada do ônibus no ponto de embarque; além do itinerário e outras funcionalidades. Com o aplicativo, o usuário pode planejar, de forma antecipada, os seus deslocamentos.”

Da Redação ODC.