Vereadores de Campinas voltam com o rabo entre as pernas após eleição fracassada


Este é um artigo baseado em opiniões dos editores do ODC, e com base nas informações do Tribunal Superior Eleitoral.

Existe um ditado que diz que “quem muito escolhe, sozinho vai ficar”.

E isso vem bem a calhar com a Câmara de Vereadores de Campinas após as Eleições de 2022.

Nove vereadores saíram para candidaturas a deputados estaduais ou federais, e os nove voltaram com as mãos abanando, como cachorros que caíram dos caminhões de mudança.

Quem saiu para deputado estadual?

  • Mariana Conti (PSOL), que conseguiu boa votação, mas não foi eleita devido ao quociente eleitoral. (Teve 43 mil votos)
  • Higor Diego (Republicanos), que mal esquentou a cadeira e já quis pular longe da Câmara de Campinas, foi bem votado, mas não entrou pelo mesmo motivo de Mariana. (Teve 30.783 votos)
  • Paolla Miguel (PT) até teve votação expressiva, mas insuficiente. (Teve 25.062 votos)
  • Rodrigo da Farmadic (União Brasil), que tentou um salto maior que a perna, vai ter que se contentar em olhar para as caixas de remédios no DIC. (Teve 17.891 votos)
  • Luiz Cirilo (PSDB), que fingiu que não era com ele quando a CPI precisava da 11ª assinatura e só o fez depois que Débora Palermo (PSC) assinou, pagou o preço da decadência do partido, apesar dos 12 mil votos que teve.
  • Permínio Monteiro (PSB), que parece planta de reality show na Câmara, teve 11.266 votos e não entrou
  • Eduardo Magoga (Podemos) teve apenas 6 mil votos e pagou mico — até porque não tem trabalho relevante na Casa até o momento.
  • Paulo Búfalo (PSOL), que já foi um grande chamariz da oposição campineira, ex-candidato a prefeito e tudo, fracassou com apenas 5 mil votos — conseguiria se eleger em um condomínio grande como síndico.

Quem concorreu a deputado federal?

Arnaldo Salvetti (MDB), que só pensa em fazer homenagem para os outros na Câmara, vai continuar fazendo isso. Conseguiu 10 mil votos, boa votação, mas insuficiente para o cargo que pleiteou.

O único vereador que teve alguma “sorte” foi Professor Alberto (PL), que é 2º suplente do senador eleito Marcos Pontes. Mas, ele vai ter que torcer muito para conseguir assumir a cadeira do Senado.

Enquanto isso, todos eles vão ter que continuar se encarando no Teatro Bento Quirino e aguentando a CPI contra Zé Carlos, já que todo mundo fingiu que nada acontecia na Casa quando as discussões sobre as denúncias de corrupção rolavam por aí.

Conteúdo relacionado

Busque

Linhas de Campinas

Linhas de Paulínia

Linhas de Hortolândia

Linhas de Sumaré