Alunos matriculados na Educação Especial na rede municipal de Campinas cresce 32%


O número de alunos matriculados na Educação Especial na rede municipal de Campinas aumentou em 32% em 2023. Os números saltaram de 1.499, em 2022, para 1.979, no ano passado, conforme dados do Censo Escolar.

Em 2023, a cidade tinha 4.692 alunos, deste público-alvo, estudando nas redes públicas e particulares, o que significa que 42,1% dos alunos são atendidos pela rede municipal de educação.

A maior quantidade de vagas é ocupada por estudantes com o Transtorno do Espectro Autista (TEA). O segundo maior número de matrículas é destinado para aqueles que têm deficiência intelectual, seguido dos que apresentam deficiência física.

Para atender esse público, a Secretaria Municipal de Educação oferece um leque de serviços e recursos considerando a Educação Inclusiva. As 208 escolas contam com professores de Educação Especial que têm a missão de oferecer um suporte especializado para o aluno, assim como são responsáveis pelos processos pedagógicos e pela articulação dos processos inclusivos.

Há também o professor articulador da Educação Bilíngue que dá apoio e faz a articulação junto às escolas com estudantes surdos e com deficiência auditiva, além de outros profissionais, como os professores bilíngues, intérpretes de Libras e instrutor surdo.

Cuidadores

Os cuidadores também atuam com os alunos da Educação Especial. “Eles são o apoio para que as crianças possam fazer as refeições, higiene pessoal, assim como, se locomover pela escola, no caso dos cadeirantes, por exemplo”, explicou uma das integrantes do Núcleo de Educação Especial, a coordenadora pedagógica, Elise Helena Batista Moura.

Atualmente há 350 cuidadores na rede municipal. A partir do início de fevereiro deste ano serão mais 120 profissionais que se juntam a esse time, totalizando 470.

“Esse é um cuidado que se manifesta no contexto escolar e difere das necessidades que acontecem nos âmbitos familiares, hospitalares e demais ambientes. É importante ressaltar que nem todo aluno com deficiência necessita ou se beneficia do cuidador, sendo preciso muito critério para disponibilizar o serviço, pois a presença de um adulto ao lado da criança ou adolescente, se não for necessária ou bem planejada, pode até mesmo atrapalhar o desenvolvimento”, explicou Elise.

Transporte adaptado

O acesso à escola é garantido aos alunos da Educação Especial por meio do transporte adaptado. Do total de 1.979 estudantes, 272 usam esse serviço. Os demais estudantes, do ensino regular, também são transportados ou recebem passe escolar. Neste último caso, o benefício é concedido para os que moram a mais de dois quilômetros da escola.

O transporte adaptado é feito por um veículo fretado que foi reformulado para atender cadeirantes. Ele é destinado para os alunos que têm uma severa redução de mobilidade provocado por uma deficiência, com também uma redução significativa de percepção causada pelo transtorno do espectro autista. O veículo também é ofertado para as crianças com surdo-cegueira.

Salas de Recursos Multifuncional

No contraturno das aulas, também são oferecidos um conjunto de atividades, recursos de acessibilidade e pedagógicos que complementam ou suplementam a escolarização. Esses serviços são individualizados e realizados pelos professores da Educação Especial, nas chamadas salas de recursos multifuncionais. Esses serviços são oferecidos após uma avaliação da equipe escolar.

Escola Polo Bilíngue

Na região Sul da cidade, há a Escola Municipal de Ensino Fundamental Júlio de Mesquita Filho, que a partir deste ano, além de Escola Polo Bilíngue, será uma unidade de Educação Integral. Localizada no Jardim São Vicente, ela é referência na educação para alunos surdos. Atualmente, a escola tem 433 estudantes matriculados.

O Centro de Educação Infantil Manoel Affonso Ferreira, na Vila Teixeira, e o Centro Municipal de Ensino Fundamental (CEI) e Educação de Jovens e Adultos (Cemefeja) Sérgio Rossini, também são consideradas escolas pólos bilíngues.

Mais serviços

A Secretaria de Educação de Campinas também oferece como apoio ao trabalho educacional os seguintes serviços:

  • Centro Multidisciplinar de Apoio, Pesquisa e Assessoria à Educação Especial Inclusiva (Cemapa) – destinado aos profissionais da rede, onde eles recebem orientações sobre recursos e materiais sobre inclusão.
  • Centro de Produção de Materiais Adaptados (Cepromad).
  • Gestão e Apoio à Inclusão de Alunos com Altas Habilidades/Superdotação (Gaiah) – destinado aos alunos com altas habilidades/superdotação.
  • Apoio aos Processos Inclusivos com estagiários.
  • Formação continuada aos profissionais da rede municipal.

As informações são da Prefeitura de Campinas.
Leia também:
Estrada dos Amarais ganha novo semáforo para pedestres na altura do Recanto da Fortuna

Conteúdo relacionado

Busque

Linhas de Campinas

Linhas de Paulínia

Linhas de Hortolândia

Linhas de Sumaré