Cresce número de óbitos no trânsito de Campinas; Alta velocidade é principal motivo

Publicado em:

O boletim da Emdec sobre mortes no trânsito da cidade de Campinas, divulgado nesta semana, mostra que houve uma queda no número de óbitos de pedestres em relação ao ano passado.

Nos cinco primeiros meses deste ano foram nove óbitos registrados, contra 13 no ano passado. Porém o número total de mortes nas vias urbanas teve um aumento, conforme informado secundariamente.

Entre janeiro e maio deste ano foram registradas 35 mortes, contra 33 no mesmo período do ano passado. Isso indica um aumento de 6% nos dados. Em maio foram 13 mortes registradas.

Como de praxe, a alta velocidade foi a principal causa dos acidentes com morte. Em segundo lugar vem o consumo de álcool por conta do motorista do veículo acidentado.

Entre as 35 mortes nas vias urbanas, 17 (49%) eram motociclistas, nove (26%) eram pedestres, sete (20%) ocupantes de demais veículos e dois (5%) eram ciclistas.

Apesar das ações educativas incisivas da Emdec, naturalmente o motorista de Campinas é imprudente e irresponsável, e por isso o trabalho fica difícil. O trânsito campineiro é considerado um dos piores do país, não pela malha mas pelos próprios condutores ruins.

Da Redação ODC.
Leia também:
Funcionários de empresas e estudantes são os que mais burlam sistema de catracas do BRT em Campinas

Busque

Linhas de Campinas

Linhas de Paulínia

Linhas de Hortolândia

Linhas de Sumaré